O Povo Cigano

26.05.2015

Os ciganos! 

 

São meu encanto. Como eu amo esse povo! Todas as vezes que trabalho com Dona Elizabeth, eu me sinto uma pessoa melhor. Além de incorporar aquela luz maravilhosa, eu incorporo a vontade de colaborar com as forças do Planeta e ajudar meus irmãos encarnados a ter o despertar da evolução. 

Ela ensinou-me a respeitar mais o ser humano. Ensinou a me respeitar, a ser livre, que essa liberdade nos dá a responsabilidade de evolução, crescimento e vontade própria. Me ensinou que o rancor, a raiva e a tristeza, são fatores importantes da nossa vida, que não devemos despreza-los, são sentimentos e quando oprimimos os nossos sentimentos mesmo sendo negativos, esquecemos de nos valorizar. Me ensinou o caminho do bem, que a consciência limpa é esse caminho, que sempre eu possa fazer aquilo que gostaria que fizessem para mim.

 

... – Menina, cuide de sua consciência! É ela que te faz livre (com sotaque casteliano). Consciência é o que vocês precisam para adquirirem a felicidade plena em suas almas, Deus dá a matéria prima, cabe a vocês usarem e aproveitarem da melhor forma possível. 

 

Celebrar o dom da vida.

 

Adriana Martins

 

 

O Povo Cigano na Umbanda 

 

São entidades que há muito tempo trabalham na Umbanda, mas normalmente se manifestam sob o domínio da linha do oriente. Isso é possível pelo fato da energia de trabalho ser a mesma, o que muda é a forma de manipular os fluídos, uma vez que os ciganos usam a relação material, energética, elementar e natural, assim como o povo da esquerda, enquanto que o povo do Oriente manipula esses elementos através de seu magnetismo espiritual. 

 

Sempre se faz necessário deixar claro que uma coisa é “Magia do Povo Cigano”, ou “Magia Cigana”, e outra coisa bem diferentes são as Entidades de Umbanda que se manifestam nesta linha de trabalho. Existe uma pequena semelhança somente no poder de Magia, mas suas atuações são bem diferentes pois as Entidades de Umbanda trabalham sob o domínio da lei e dos Orixás, conhecem magia como ninguém e, principalmente, não vendem soluções ou adivinhações. 

 

Os espíritos que se manifestam como Ciganos na Umbanda, não trabalham a serviço do mal, como dizem por ai, infelizmente a falta de conhecimento e de doutrina dos próprios adeptos da umbanda a faz parecer uma religião que prega o mal. Nem uma entidade está aqui para resolver os nossos problemas a qualquer custo. Não é assim que funciona. 

 

Importante saber, que todo o praticante de magia, deve antes de mais nada, praticar e preservar a LIBERDADE, mesmo tendo o conhecimento da “arte das trevas”, devemos preservar o bom senso. Acredito que você não gostaria de se sentir preso. Temos aqueles espíritos que não agem dentro do contexto da Lei, e aqui o chamamos de “Quiumbas”, esses nossos irmãozinhos se encontram  espalhados pela escuridão e a serviço das Trevas. Não devemos esquecer, que esses espíritos também passaram pela vida encarnada, e de forma alguma, o estamos aqui para julga-los. Para que não tenhamos afinidades com essas entidades é imprescindível o bom nível espiritual do médium para trabalhar com uma linha que atraia os espíritos do Bem e da Evolução. 

 

Os ciganos usam, em seus trabalhos, muitas cores, cada um desses espíritos, tem uma cor de vibração no plano espiritual e uma outra cor de identificação. Uma das cores, a de vinculação vibracional, raramente se torna conhecida, mas a de trabalho deve sempre ser conhecida para prática votiva das velas, roupas, etc. É muito comum, me seus trabalhos, os Ciganos usarem moedas antigas, fitas de todas as cores, folhas de sândalo, punhais, raiz de violeta, cristais, lenços coloridos, incensos, o elemento água, velas coloridas, vinho, perfume, baralho, espelho, areia de rio, cesta de vime, tachos de cobre e alumínio, dados, medalhas e até as próprias saias das ciganas, que sempre são muito coloridas, fazendo parte do instrumento magístico de trabalho. 

 

Os ciganos, por andarem pelo mundo inteiro, incorporam a sua filosofia, as religiões dos lugares que acampam, por isso são dotados de uma sabedoria esplendorosa, tem um pouquinho de cada lugar do mundo em sua cultura. Seus lindos encantamentos e magias, são escolhidos por datas certas em dias especiais, sob a regência das diversas fases da Lua. Gostam muita de festas e todas elas devem acontecer com bastante música, dança, frutas, com jarras de vinho tinto com um pouco de mel e não pode faltar os pães com seus deliciosos patês. Não podemos esquecer: flores silvestres, muitas rosas, velas de todas as cores e claro o famoso incenso de Lótus. 

 

Em suas festas, não podem faltar a fogueira, onde dançam e cantam a noite toda, aproveitando o poder das salamandras para consumir todo o negativismo e acender a chama interna de cada Ser. Os ciganos têm em Santa Sarah Kali, as orientações necessárias para o bom andamento de suas missões espirituais. 

 

Símbolos Ciganos

 

TAÇA – simboliza união e receptividade. Qualquer líquido cabe nela e adquire sua forma. Tanto que, no casamento cigano, os noivos tomam vinho em uma única taça, que representa valor e comunhão eterna.

 

CHAVE – simboliza as soluções. É usada para atrair boas soluções de problemas. O símbolo da chave, quando em trabalho, costuma atrair sucesso e riquezas.

 

ÂNCORA – simboliza segurança. É usado para trazer segurança e equilíbrio no plano físico, financeiro e para se livrar de perdas materiais.

 

FERRADURA – simboliza energia e sorte. É usado para atrair energia positiva e boa sorte. A ferradura representa o esforço e o trabalho. Os ciganos têm a ferradura como poderoso talismã, que atrai a boa sorte, a fortuna e afasta a má sorte.

 

LUA – simboliza a magia e os mistérios. A lua é usada geralmente pelas ciganas para atrair percepção, o poder feminino, a cura e o exorcismo, atentando-se sempre para as fases: nova, crescente, cheia e minguante. A lua cheia é o maior elo de ligação com o sagrado, sendo chamada de madrinha. As grandes festas sempre acontecem nas noites de lua cheia.

 

MOEDA – simboliza proteção e prosperidade. É usada contra energias negativas e para atrair dinheiro. A moeda é associada ao equilíbrio e à justiça e relacionada às riquezas materiais e espirituais, que são representadas pela cara e coroa. Para os ciganos, cara é o ouro físico, e coroa, o espiritual.

 

PUNHAL – simboliza a força, o poder, vitória e superação. É muito usado nos rituais de magia, tem o poder de transmutar energias. Os ciganos também usavam o punhal para abrir matas, sendo então, um dos grandes símbolos de superação e pioneirismo, além da roda. O punhal também é usado nas 

cerimônias ciganas de noivado e casamento, onde é feito um corte nos pulsos dos noivos e em seguida os pulsos são amarrados em um lenço vermelho, representando a união de duas vidas em uma só.

 

TREVO – simboliza a boa sorte. É o símbolo mais tradicional de boa sorte, traz felicidade e fortuna. É raro encontrar um trevo de quatro folhas na natureza, mas quando se encontra pode-se esperar sempre prosperidade.

 

RODA – simboliza o ciclo da vida. A Samsara representa o ir e vir, o circular, o passar por diversos estados, o ciclo da vida, morte e renascimento. É usada para atrair a grande consciência, a evolução, o equilíbrio, é o grande símbolo cigano e é representado pela roda dos vurdón que gira. Samsara (sânscrito) – Literalmente significa “viajando”, o ciclo de existências, uma sucessão de renascimentos que um ser segue através de vários modos de existências até que alcance a liberação. Vurdón (romanês ou romani – dialeto cigano) significa “carroção”.

 

CORUJA – simboliza “o ver totalmente”. É usado para ampliar a percepção com a sabedoria possibilitando ver a totalidade: o consciente e o inconsciente.

 

 

Please reload

Instituto 7Raios
Abassá de Ogunté:

 

Somos uma casa com ensinamentos espirituais baseados nas obras de Allan Kardec, Umbanda e no Esoterismo, sem fins lucrativos, sediada na Avenida Água Funda, 250, na Vila Guarani, na capital do estado de São Paulo, Brasil. Foi inaugurada no dia vinte de janeiro de 2003, com autorização do Preto Velho Pai João de Mina e da Cabocla Janaína, entidades dirigentes que determinaram nossas diretrizes, entre as quais está a pratica da caridade.

 

Nossa prática de desenvolvimento mediúnico é fundamentada nos ensinamentos tradicionais da nação Omoloco da Umbanda, conhecida como Umbandablé. Estudamos os ensinamentos transmitidos pelo Caboclo 7 encruzilhas (o codificador da Umbanda). Buscamos, porém, uma religião muito além das tradições, através do estudo e aprendizado como forma de evolução.

 

Diante do nosso compromisso, não nos prendemos nas práticas do culto afro, pois temos a consciência que existem muitas filosofias "mágicas" que contribuem para o desenvolvimento do ser humano e do Planeta. Isto não quer dizer que modificamos a essência da nossa religião, ao contrário, incorporamos no nosso aprendizado a busca do despertar interno.

 

Nossa Filosofia é o despertar em cada assistido ou médium, o seu "DEUS" interior e trazer para sua vida o Equilíbrio, a Estabilidade e a Paz.

 

Todos têm uma verdade a seguir, e aqui ela se encontra dentro de cada um. O que importa é respeitarmos todas as doutrinas e praticarmos o "bem sem olhar a quem".

 

Não somos donos da verdade, desejamos apenas mostrar a essência da humildade umbandista, como é simples e linda a nossa religião.

 

Enfim, estamos fazendo nossa história e convidamos a todos para fazer parte também.

 

 

 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now