Setembro - Mês dos Erês

10.09.2015

Owmmmm

Essas carinhas me matam de amor!

 

Adoro o mês de setembro. Entrada da primavera, parece que o ambiente fica mais leve, as pessoas ficam mais calmas, pelo menos aparentemente, eu me sinto assim! Só de lembrar que esse mês tem festa de Erê no centro, sei lá, parece que alivia o coração. Nossos anjinhos do céu.

 

Erê é o intermediário entre a pessoa e seu Orixá, é o aflorar da criança que cada um guarda dentro de si; reside no ponto exato entre a consciência da pessoa e a inconsciência do Orixá. É por meio de Erê que o Orixá expressa sua vontade, que o noviço (Yao) aprende as coisas fundamentais do candomblé, como as danças e os ritos específicos de seu Orixá

 

A palavra Erê vem do yorubá, que significa “brincar”. Daí a expressão Siré que significa “fazer brincadeiras”. A palavra iré em yorubá significa “boa ação ou favor”. O Erê (não confundir com criança que em yorubá é omodé) aparece instantaneamente, logo após o transe do Orixá, ou seja, o Erê é o intermediário entre o iniciado e o orixá. Durante o ritual de iniciação, o Erê é de suma importância, pois muitas vezes trará a mensagem do Orixá. No Candomblé, acredita-se que os Erês são crianças que foram geradas no ventre de mães e que por doenças ou algum motivo não chegaram a viver entre os humanos na terra.

 

Na Umbanda, também se manifestam como espíritos de crianças pequenas e são a alegria que contagia os terreiros. Simbolizam a pureza, a inocência e a singeleza. Seus trabalhos se resumem em brincadeiras e divertimentos. Podemos pedir-lhes ajuda com nossos filhos, resolução de problemas, fazer confidências, mexericos, mas nunca para o mal, pois eles não atendem pedidos dessa natureza. Mas, costumamos dizer que o que o Erê faz ninguém desfaz.

           

São espíritos que já viveram encarnados na Terra e que optaram por continuar sua evolução espiritual através da prática da caridade, incorporando em médiuns nos Terreiros de Umbanda. Em sua maioria, foram espíritos que desencarnaram com pouca idade, por isso trazem características de sua última encarnação, como o trejeito e a fala de criança, o gosto por brinquedos e doces.

           

Quando incorporadas em um médium, além das brincadeiras de correr e se usar seus brinquedos, fazendo suas artes como qualquer criança, despendem muita energia e é necessária grande concentração por parte do médium (consciente), para não deixar que estas brincadeiras atrapalhem na mensagem a ser transmitida.

 

Os “meninos” são em sua maioria mais bagunceiros, enquanto que as “meninas” mais quietas e calminhas. Alguns deles incorporam pulando e gritando, outros descem chorando, outros estão sempre com fome, etc. Estas características, que às vezes nos passam desapercebidos, são sempre formas que eles têm de exercer uma função específica, como descarregar o médium, o terreiro ou alguém da assistência. Aqui as meninas são bem danadas, começando pela minha lindinha.

           

O fato de ter bastante brincadeiras nesta gira, não devemos menosprezar ou interpretar como diversão, embora seja realizada em dias festivos, e não consigamos conter os risos, é uma gira que tem um trabalho muito sério e que ajuda as pessoas a trabalharem os seus chakras e a equilibrarem suas emoções.

           

A festa de Cosme e Damião, Santos católicos sincretizados como Ibeiji, é comemorada no dia 27 de setembro. Sempre muito concorrida, com distribuição de bolo, doces, guaraná, pipoca e o famoso caruru.

           

As festas para Ibeiji tem duração de um mês, iniciando no dia 27 de setembro e terminando em 25 de outubro, isso por conta da ligação espiritual que há entre Crispim e Crispiniano com Cosme e Damião.

           

Um outro ponto é que o Erê não gosta de desmanchar demandas e nem de fazer desobssessões, e em seu decorrer vão trabalhando com seu elemento de ação sobre o consulente, modificando e equilibrando sua vibração, regenerando os pontos de entrada de energia do corpo humano.

           

Não são tolos, identificam muito rapidamente nossos erros e falhas humanas. E não se calam quando em consulta, pois nos alertam sobre eles.

           

Muitas entidades que atuam sob as vestes de um espírito infantil, são muito amigas e tem mais poder do que imaginamos. Infelizmente como não são levadas muito a sério, o seu poder de ação fica oculto. São excelentes conselheiros e curadores, por isso foram associados à Cosme e Damião, curadores que trabalhavam com magia dos elementos.

           

Neste mês de setembro, vamos fazer nossas oferendas para eles, para as crianças. Faremos uma corrente de luz e amor, pedindo que ajudem nosso Brasil, que protejam todas as crianças e que amenizem nossos corações dos medos.

 

Boa sorte!

 

Não tem dia para começar.

           

Pegue um prato branco de porcelana, escolha 7 doces como paçocas, pé de moleque, doce de abobora, coloque pirulito e balas, tire os papéis. Coloque um pouco de açúcar em cima dos doces. No meio do prato coloque o copo com guaraná. Vá mentalizando seus pedidos.

           

Recomendamos a acender duas velas nas cores azul claro e rosa. Representando o menino e a menina. 

           

Eu tenho o costume de cantar pontos de Erê, mas se você não conhecer. Faça suas orações pessoais e ofereça a São Cosme e São Damião. Faça com fé.

 

Definir Fé: Buscar aquilo que eu não tenho!

Please reload

Instituto 7Raios
Abassá de Ogunté:

 

Somos uma casa com ensinamentos espirituais baseados nas obras de Allan Kardec, Umbanda e no Esoterismo, sem fins lucrativos, sediada na Avenida Água Funda, 250, na Vila Guarani, na capital do estado de São Paulo, Brasil. Foi inaugurada no dia vinte de janeiro de 2003, com autorização do Preto Velho Pai João de Mina e da Cabocla Janaína, entidades dirigentes que determinaram nossas diretrizes, entre as quais está a pratica da caridade.

 

Nossa prática de desenvolvimento mediúnico é fundamentada nos ensinamentos tradicionais da nação Omoloco da Umbanda, conhecida como Umbandablé. Estudamos os ensinamentos transmitidos pelo Caboclo 7 encruzilhas (o codificador da Umbanda). Buscamos, porém, uma religião muito além das tradições, através do estudo e aprendizado como forma de evolução.

 

Diante do nosso compromisso, não nos prendemos nas práticas do culto afro, pois temos a consciência que existem muitas filosofias "mágicas" que contribuem para o desenvolvimento do ser humano e do Planeta. Isto não quer dizer que modificamos a essência da nossa religião, ao contrário, incorporamos no nosso aprendizado a busca do despertar interno.

 

Nossa Filosofia é o despertar em cada assistido ou médium, o seu "DEUS" interior e trazer para sua vida o Equilíbrio, a Estabilidade e a Paz.

 

Todos têm uma verdade a seguir, e aqui ela se encontra dentro de cada um. O que importa é respeitarmos todas as doutrinas e praticarmos o "bem sem olhar a quem".

 

Não somos donos da verdade, desejamos apenas mostrar a essência da humildade umbandista, como é simples e linda a nossa religião.

 

Enfim, estamos fazendo nossa história e convidamos a todos para fazer parte também.

 

 

 

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now